Carlos Moedas, Comissário europeu responsável pelas pastas da Investigação, Ciência e Inovação, estará no Alentejo a 28 e 29 de abril, passando por Évora e Beja.

 

O Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, a Reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas, o Presidente do Instituto Politécnico de Beja, Vítor José de Jesus Carioca, e a Representante da Comissão Europeia em Portugal, Sofia Colares Alves, acompanham o Comissário europeu Carlos Moedas em várias etapas deste Roteiro.

2017 marca os 60 anos do Fundo Social Europeu (FSE), o principal e mais antigo instrumento da UE para investir nas pessoas.

Hoje, o FSE constitui uma grande alavanca para a criação de emprego, promoção de uma melhor educação, administrações públicas mais modernas e para a inclusão social, sendo por isso um instrumento essencial para criar oportunidades mais justas para todos os cidadãos.

Se um banco for à falência, os clientes não perdem as suas poupanças. A UE garante que a pessoa recebe o dinheiro de volta não só no caso de um banco do seu país mas também de um banco sediado noutro Estado-Membro da UE.

Sabe onde deve matricular o seu carro se tiver residência no seu país mas residir noutro país da União Europeia?

Mais informação aqui.

Conheça o trabalho dos CIED´S Algarve e Baixo Alentejo, video de apresentação no âmbito da campanha  "A Europa perto de mim". 

Portugal tem 118 orçamentos participativos, um dos melhores valores europeus.Em Portugal estão a decorrer 118 Orçamentos Participativos, um dos melhores valores europeus de uma iniciativa que aumentou de qualidade nos últimos anos, permitindo aos cidadãos tomar decisões políticas sobre as cidades onde vivem. Mais informação aqui.

 

"As produções agrícolas estão excluídas dessa atualização do IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis)», afirmou António Costa, insistindo que a atualização que o Governo está a estudar «tem simplesmente a ver com propriedade que não é afeta à exploração agrícola".

Sabia que enquanto cidadão europeu que frequenta uma universidade noutro país da União Europeia tem direito à mesma bolsa para pagar as propinas que os cidadãos do país de acolhimento. Não podem ser-lhe exigidas propinas mais caras. Mais informação aqui