A Comissão Europeia propôs hoje dotar o Corpo Europeu de Solidariedade com um mecanismo de financiamento próprio, de 341,5 milhões de euros para os próximos três anos, com vista a possibilitar a colocação de 100 mil jovens até 2020.

 

De acordo com o executivo comunitário, a primeira fase desta iniciativa, lançada em dezembro de 2016, mobilizou oito programas diferentes para proporcionar oportunidades de voluntariado, estágios ou empregos no âmbito do Corpo Europeu de Solidariedade, e "mais de 30 mil jovens já se inscreveram e os primeiros participantes iniciaram agora as suas atividades".

A proposta apresentada, sustenta a Comissão, "dá um impulso à consolidação da iniciativa e à criação de mais oportunidades para os jovens".

"Além de ofertas de voluntariado, estágios e colocações, o Corpo Europeu de Solidariedade dará agora aos participantes a possibilidade de lançar projetos de solidariedade próprios ou de se empenhar em atividades de voluntariado no âmbito de um grupo", realça o executivo comunitário.

Para a próxima fase do Corpo Europeu de Solidariedade, a Comissão prevê novos tipos de atividades, como "experiências práticas de solidariedade" na realização de atividades de voluntariado por um período máximo de 12 meses, estágios habitualmente de dois a seis meses e colocações profissionais de dois a 12 meses, de acordo com a legislação nacional aplicável.